Topo(S)grafia

pvp 12€. adquirir

Vídeo - Daniel Sorrentino

Este objeto editorial resulta da criação artística transdisciplinar, Topo(S)grafia, que teve lugar no dia 4 de maio de 2019, em Braga.

 

Destinada à Colina de Guadalupe, onde se implanta a Torre Miradouro do Sagrado Coração de Jesus (património da Universidade Católica Portuguesa – Centro Regional de Braga) a ação propôs uma anotação vivida do “ato de caminhar” enquanto prática estética - um gesto performativo que advém da Psicogeografia Situacionista de Guy Debord. O mito de Sísifo (Albert Camus, 1941), análogo a rotinas geradoras de movimentos de repetição e esforço, encontra-se de sobremaneira com os propósitos de Topo(S)grafia, levando os participantes a integrar uma metáfora da sociedade contemporânea. Entendeu-se abrir as relações com o lugar, ora provocando, ora enfatizando um qualquer espaço de alteridade na relação do eu, do outro e do contexto urbano que a todos pertence. São os corpos humanos e suas deambulações sobre a paisagem que sugerem um modelo do movimento quotidiano que, tal como Sísifo, persegue repetida e ininterruptamente a (incerta) caminhada pelo destino que simultaneamente atrai e condena. Concebida por Gisela Rebelo de Faria, a ação artística congrega um texto original de Gonçalo M. Tavares que é dito por Ivo Canelas. A música é criada e interpretada no lugar por Nuno Aroso e Henrique Portovedo. Nasce um poema de transdiciplinaridade que impele os corpos de Os Espacialistas a uma dinâmica de deslocações na paisagem que inclui os participantes neste percurso. O tal percurso que os incitou a explorar renovados modos de ver e de interagir com o lugar, pisando e percorrendo o mesmo chão dos artistas, surpreendendo-se (espera-se) com o até então inalcançável, invisível. Terminam a ação performativa no cimo da torre, tocando, nesse momento, o ponto mais alto da paisagem. Na simbiose entre lugar - espaço - matéria - som - performatividade, a escala humana surge como medida e dispositivo relacional capaz de edificar narrativas.

 

Esta peça editorial é o registo de Topo(S)grafia e surge com o intuito de permitir uma renovada experiência de fruição do (i)material artístico da ação. Pretende-se que a manipulação do objeto contenha uma intenção performativa, enaltecendo os princípios subjacentes à criação.

 

 

Gisela Rebelo de Faria

Nuno Aroso

Ficha Editorial

Editores: Gisela Rebelo de Faria, Nuno Aroso. Design: Gisela Rebelo de Faria. Fotografia: Daniel Sorrentino. Apoio à composição gráfica: Ana Willerding. Impressão: Tipografia Peninsular, Porto. Tiragem: 100 exemplares. Depósito legal nº: 495823/22. ISBN: 978-989-53423-0-3

Ficha artística

Conceção e direção artística: Gisela Rebelo de Faria. Texto original: Gonçalo M. Tavares. Direção musical: Nuno Aroso. Criação e interpretação musical: Nuno Aroso e Henrique Portovedo. Voz: Ivo Canelas. Performance: Os Espacialista